07/10/2014

Pompéia - Itália




Pompeia é um daqueles lugares únicos no mundo, e por este motivo Patrimônio da Humanidade pela UNESCO distante somente a 22 km de Nápoles. A maneira mais fácil e segura de conhecer é contratando um tour opcional com transporte e guia para dar todas as explicações ou poderá ir por conta própria de carro pela rodovia A3 ou com o trem Regional da Circumvesuviana na Estação Central de Nápoles, direção a Sorrento até a Estação Pompei Scavi-Villa dei Misteri para acesso pela Porta Marina com duração aproximada de 30 minutos. Os horários e preços do bilhete podem ser consultados neste site : http://www.eavcampania.it/




Algumas dicas são importantes para a visita, procure usar calçados com sola de borracha como tênis para caminhar por longo tempo porque o lugar é bem grande. No verão leve chapéu ou boné, uma garrafinha de água e no inverno um agasalho porque os espaços são abertos com vento gelado. Utilize os banheiros na entrada antes de começar a visita e bolsas podem ser deixadas no guarda-volumes. O bilhete em maio de 2014 custou 11 euros e o horário de visita de abril a outubro é das 8h30 às 19h30 com venda de bilhetes até 18h00, e de novembro a março das 8h30 às 17h00 com último bilhete às 15h30. No inverno europeu escureceu por volta das 16h00, portanto procure visitar mais cedo. Pegue um mapa gratuito na entrada e procure ler alguma coisa sobre o local antes da visita para aproveitar melhor o passeio e conhecer a história ou alugue um audioguia.




A antiga cidade de Pompeia foi destruída com a erupção do vulcão Vesúvio na manhã de 24 de agosto do ano 79 D.C. e somente em 1746, foi reencontrada com suas construções, objetos e corpos das pessoas na mesma posição que se encontravam quando foi atingida. O arquiteto italiano Domenico Fontana, descobriu as ruínas durante os trabalhos do Projeto para um túnel sob a montanha La Civita, que traria água do rio Sarno para a cidade de Torre Annunziata.

Como arquiteta urbanista foi muito interessante estar ao vivo em uma antiga cidade romana e perceber sua disposição urbana. Muitas construções foram preservadas porque ficaram soterradas por muitos anos. Começamos a visita pela Porta Marina, uma das entradas do muro da cidade que leva este nome porque era voltada para o mar.




Porta Marina

Uma das primeiras ruínas ao lado da Entrada na Porta Marina é o Templo  de Vênus (Tempio di Venere), a patrona da cidade e um dos mais suntuosos, mas pouco sobrou de sua arquitetura original porque foi abalado por um terremoto antes da erupção do Vesúvio e saqueado posteriormente. Ao lado fica o Templo de Apollo, o mais antigo de Pompéia datado de 575-550 a.C. com colunas jônicas e frontão dórico, combinando os estilos itálico e grego. As esculturas originais e grande parte do que foi encontrado em Pompeia estão no Museu de Nápoles. Passando pelas ruínas da Basílica em formato retangular e um antigo edifício de administração pública chegamos ao Forum, a praça principal da cidade de Pompéia rodeada de outros edifícios religiosos, políticos e econômicos. O antigo mercado no forum é hoje um espaço com peças encontradas durante as escavações, um depósito de material arqueológico. A peça mais famosa neste espaço é o cão retorcido e ainda com a coleira e a corrente que o impediram de fugir.


Templo de Apolo - Tempio di Apollo

Basilica

Forum

Forum
O Cão de Pompéia



Templo de Vênus - Tempio di Venere
Ao lado do forum e do Arco Onorario fica uma lanchonete e banheiros para uma paradinha se quiser descansar um pouco antes de prosseguir. Neste mesmo local o mosaico na entrada de uma casa com a imagem de um cão e a expressão " Cave Canem" é muito interessante porque significa "Atenção ao cão ". Vejam que nossas atuais placas nos portões alertando sobre o cão já existiam em Pompeia na forma de mosaicos.



A próxima visita foi o Lupanare, um antigo bordel de Pompéia porque Lupa significa prostituta. A curiosidade são as pinturas nas paredes indicando posições de atos sexuais e serviam como o cardápio da casa porque as moças e os frequentadores eram de lugares com línguas diferente, e deste modo comunicavam-se para acertar o serviço...assim como no Mc Donalds número 1,etc.

 



Para visitar todos os espaços de Pompéia é preciso tempo e muita disposição, apesar de que a cada nova ruína você quer conhecer outra e mais outra, mas estávamos bem cansadas neste dia com uma noite mal dormida, um calor enorme e uma viagem programada para o outro dia logo cedo. Claro que não aguentamos visitar tudo e passamos por alguns outros espaços já na rota de voltar por onde entramos. Dos 84 espaços a visitar em Pompéia, conseguimos passar por aproximadamente 25% deles, mas ficamos encantadas com tudo aquilo e não imaginávamos a dimensão e a beleza do lugar. E como amante de arte, arquitetura e história poderia ficar horas descrevendo Pompéia, mas deixarei você descobrir em sua próxima viagem à Itália.